Notícias

Voltar
17 Out
2019
Emissão da NFC-e no RS: Prazo está acabando, não deixe para última hora!

 

A NFC-e (Nota Fiscal para Consumidor Eletrônica) iniciou sua implementação no RS em 2014 com atacadistas e varejistas com faturamento anual superior a R$ 10.800.000,00. Desde então vem escalonando a obrigatoriedade, em 01/01/2019 estavam obrigados a emitir NFC-e os contribuintes com faturamento superior a R$ 120.000,00 e a partir de 01/01/2020 a NFC-e deverá ser realidade para todas as empresas do RS que promovam operações de comércio varejista.

Muitas empresas ainda não começaram a se preparar para emitir a NFC-e. Se sua empresa é uma delas, não fique preocupado, leia nosso conteúdo e entenda tudo o que precisa saber sobre a Nota Fiscal para Consumidor e o passo a passo do que é necessário para se adaptar dentro do prazo legal.

Saiba o que é o Projeto NFC-e

A NFC-e é um Documento Fiscal emitido e armazenado de forma eletrônica cujo objetivo é substituir o Cupom Fiscal, que é impresso via impressora ECF, ou seja, quando é realizada uma venda para consumidor final, onde antes se emitia um Cupom Fiscal, agora deverá ser emitida uma NFC-e.

A validade jurídica da NFC-e é assegurada por uma Assinatura Digital de quem emitiu a nota, o que é feito através de um Certificado Digital.

Então não preciso mais imprimir Cupom Fiscal?

Esta é uma pergunta recorrente entre empresas que estão migrando para a emissão de NFC-e, e a resposta é: Não precisa imprimir nada, mas caso seja necessário, existe a opção de imprimir uma DANFE (Documento Auxiliar de Nota Eletrônica).

Entendendo a diferença entre NFC-e e DANFE:

NFC-e é o arquivo eletrônico (com as mesmas informações que continha o cupom fiscal), que é gerado no momento da venda, arquivo este que antes de ser aprovado, é validado eletronicamente para Secretaria da Fazenda.

DANFE (Documento Auxiliar de Nota Fiscal Eletrônica) é a representação simplificada da NFC-e que pode ser impressa em qualquer impressora (não precisa ter uma ECF) para ser entregue ao cliente, onde o mesmo terá as informações sobre a venda, este documento substitui o cupom fiscal impresso.

Existem vantagens nesta implementação?

Uma das principais vantagens para empresas é que o DANFE da NFC-e pode ser impresso em impressora não fiscal, dispensando o uso de impressora térmica ECF, isto por si só acaba com o custo de aquisição deste item, intervenções técnicas e autorizações de uso, não há mais a necessidade de emitir Redução Z e Leitura X e reduz o gasto de papel.

Também possibilita o aumento da quantidade de Caixas (PDVs) já que a impressora térmica é um item considerado de alto valor de aquisição e precisava de uma impressora térmica para cada caixa.

A emissão da NFC-e através de um sistema de gestão traz benefícios como a otimização da organização e controle da empresa, além disto, alguns softwares de gestão possuem ferramenta para exportação de dados diretamente para seu Contador, simplificando esta tarefa.

Estes fatores demonstram que a adoção da NFC-e pode auxiliar no crescimento da empresa pois além de reduzir custos, agiliza os processos da empresa economizando tempo e reduzindo retrabalho.

O que preciso para começar a emitir NFC-e?

O primeiro passo é adquirir um Certificado Digital para que seja realizada a assinatura digital das suas NFC-e (indicamos o Modelo A1 que é um arquivo instalado no computador e pode ser reinstalado, caso haja qualquer problema em seu computador).
Depois é preciso buscar um sistema/software que realize a emissão da NFC-e e escolher o pacote que melhor se adapta à sua necessidade.

A Windel Sistemas está preparada para lhe ajudar nas duas questões acima: Temos parceiro que fornece certificado digital e também temos várias opções de sistema emissor de NFC-e onde atendemos desde o cliente de menor porte, que deseja apenas realizar a emissão fiscal (temos pacote bem baratinho só com a emissão fiscal), até aquele cliente que deseja um sistema mais robusto para gerir sua empresa, onde então pode-se agregar mais módulos de controles.

Após adquirir seu sistema e seu certificado digital, o passo seguinte é gerar o Código de Segurança do Contribuinte (CSC) no site da Sefaz.

Dica importante: Seu Contador é seu parceiro, então é super importante que ele esteja a par de todos os seus passos desde o início do processo, para que tudo ocorra da melhor forma.

O processo é bastante simples, mas como são vários passos, é importante não deixar para última hora para se organizar!

Para saber mais detalhes, entre em contato conosco!
São mais de 5.300 clientes usando diariamente nosso software, venha fazer parte deste time!


0800 600 2220
comercial@windel.com.br
Windel.com.br